Professor, publicar artigos é fundamental!

Uma das premissas do trabalho do professor universitário é a produção de pesquisa.

Inegável que, nas últimas décadas, a expansão da educação superior privada tem atrelado o conhecimento científico à tecnologia e à inovação em todas as áreas, influenciada e respaldada pelas mudanças ocorridas, primordialmente no cenário socioeconômico.  Este cenário, contudo, impulsionou de forma contundente as atividades materiais, assim como as intelectuais e cognitivas, exigindo do universo acadêmico o atendimento às determinações dos diferentes campos de conhecimento e critérios de produtividade, como meio de contribuir para a transformação social.

No entanto, o crescimento e a expansão do ensino superior privado não ocorrem de forma isolada ou autônoma.  O Estado Brasileiro passou a exercer forte regulação e avaliação sobre a educação superior, ancorado em dispositivos legais e com processos avaliativos regulares.

A existência do Estado Regulador parte do pressuposto de que a educação, independentemente de sua natureza administrativa, é um bem público e social, em face dos benefícios que produz, e que se materializa na formação humana e profissional.

Entre os indicadores estabelecidos pelo poder público estão as metas para publicação docente e o impacto do seu resultado na qualidade do curso e/ou instituição avaliada.

A revisão ocorrida nos instrumentos avaliativos denota a necessidade de aumento da produção científica. Para atingir o que se considera um resultado de excelência, os docentes vinculados à instituição de ensino devem produzir, ao menos, três artigos científicos anuais.

Assim, o desafio do professor universitário recai sobre a seguinte máxima: produzir conhecimento e publicá-lo é primordial.  Esta afirmação ancora no cenário de exigências advindas da expansão da educação superior privada, como também de um importante aspecto da profissão docente: a simbiose entre a docência e a ciência que, de um lado, coloca o professor como mediador do conhecimento e, de outro, transforma o professor em produtor do conhecimento. Em ambos os enfoques se ressalta a importância da pesquisa como princípio educativo e de prática integradora.

Assim, as ações teóricas e práticas, bem como a busca por respostas para os mais variados problemas devem ser refletidas, decompostas cientificamente e metodologicamente como investigação científica, de forma a contribuir para a evolução do conhecimento humano em todos os setores.

Os artigos acadêmicos devem utilizar os suportes de publicação – eletrônicos ou físicos, em áreas específicas de conhecimento, livros, revistas, periódicos com classificação de sua qualidade. A importância de disseminar o conhecimento é tão relevante quanto produzi-lo. Trata-se, no entanto, da responsabilidade compartilhada. Os criadores do conhecimento devem assegurar a apropriação social do conhecimento produzido, fidedigno e útil.

Profª Dra. Maria Inês Santos

Coordenação de Pós-graduação, Extensão e Pesquisa

Gostou? Compartilhe!
error20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *