Autocontrole e empatia são maiores em jovens que recebem educação socioemocional, diz estudo da UFRJ

Pesquisa mostrou aumento nos níveis de autoconhecimento, habilidades sociais, empatia e autocontrole nos alunos

Experimento realizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro mostrou que jovens que participam de programas de ensino de habilidades socioemocionais têm melhores níveis de autocontrole, empatia, autoconhecimento e sociabilidade. O estudo foi realizado com 9.608 estudantes entre 10 e 17 anos, submetidos ao programa Semente em diversas escolas brasileiras nas cinco regiões do país.

A avaliação foi realizada através de questionários online. Primeiro os alunos responderam a 45 perguntas no início do ano letivo de 2017. Depois, o mesmo grupo voltou a responder às questões no final do ano, após realizar atividades sobre os temas. Os resultados mostraram impactos positivos em todas as áreas avaliadas. O autocontrole aumentou 13,9%, o autoconhecimento cresceu 13,5%, as habilidades sociais melhoraram em 7,2% dos casos e a empatia cognitiva emocional em 2,3%.

O programa avaliado pela pesquisa utilizou como método de abordagem vídeos seguidos de atividades práticas. A metodologia se mostrou igualmente benéfica para meninos e meninas, melhorando o desempenho de ambos nos quesitos selecionados. Também não houve diferença significativa entre as séries, o que indica que as iniciativas surtem efeito positivo independentemente da idade do aluno.

As competências emocionais são parte fundamental do desenvolvimento humano e cruciais para a vida funcional em sociedade e o sucesso profissional. A família e a escola têm papel importante na construção e na evolução dessas capacidades.

A inteligência emocional é um dos pilares do programa Connected World, desenvolvido pelo Colégio Drummond. A iniciativa multidisciplinar buscar estimular a criatividade, a liderança e a autoconfiança dos adolescentes, contribuindo assim para a construção da identidade e o desenvolvimento das habilidades socioemocionais tão necessárias no mercado de trabalho e na vida adulta como um todo.

Gostou? Compartilhe!
error20

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *